✈ Quando Os Lobos Uivam pdf ✍ Author Aquilino Ribeiro – Higo2cam.info

Quando Os Lobos Uivam Mais uma vez Aquilino n o me desiludiu, mestre de uma escrita inigual vel, uma del cia e uma alegria ler os seus livros, a sua linguagem regionalista , cheia de palavras esquecidas e do povo rural, transporta nos para um tempo e para um Portugal que n o existe mais e este livro a prova disso Aquilino neste romance conta nos a luta de um povo rural, serr o perdido pelas serras e penedos da Beira Alta, um povo esquecido praticamente parado no tempo, em que de repente o governo de Lisboa vem de um dia para o outro alterar lhes por completo a vida e retirar lhes for a o que era deles, a serra, a sua subsist ncia e a sua liberdade tamb m a hist ria de duas fam lias, os Louvadeus , pessoas de bem cujo pai Manuel regressa do Brasil ap s uma s rie de anos sem dar not cias e o av Teot nio, homem duro da montanha, ca ador furtivo, que encarnam a moral e a raz o, e dos L nd Li o logo ap s A Selva de Ferreira de Castro, com a fasquia bem alta, pelo anterior e por Saramago que menciona Aquilino no discurso de agradecimento do Nobel Do Brasil para Portugal, foi tamb m o percurso de Manuel Louvadeus, regressado ap s 10 anos sem dar not cias h 6 O seu in cio fenomenal e, para quem prefere a cr tica pol tica subtil, Aquilino Ribeiro come a por manter assim as dist ncias No entanto, a obra quer se inflamada e, pouco depois, sabemos personagens e terra enlevados nos meandros constritores da pol tica no Estado Novo Que dizer desta escrita Por vezes brilhantes, outras vezes, sou eu que n o apanho a sua inteireza Lamento a falta de imparcialidade melhor, falta de polimento no tratamento pol tico dos intervenientes parece me que Aquilino Ribeiro e Oliveira Salazar eram duas for as contr rias de igual car cter, impondo se nesse sentido, uma vis o mais honesta em certos pontos do l Serra Dos Milhafres, Finais Dos Anos 40 O Estado Novo Resolve Impor Aos Beir Es Uma Nova Lei Os Terrenos Baldios Que Sempre Tinham Sido Utilizados Para Bem Comunit Rio E Onde Essa Comunidade Retirava Parte Vital Do Seu Sustento, Seriam Agora Expropriados E Esses Terrenos Utilizados Para Plantar Pinheiros Assim, Sem Mais Nem Menos, O Estado Chega E Diz Que, A Partir Daquele Momento, Acabou Implanta Se Um Clima De Medo Nas Gentes E Esse Clima Que Manuel Louvadeus, Que Havia Emigrado Para O Brasil Anos Antes, Vem Encontrar Quando Regressa Aldeia Homem Vivido E Culto, Devido, Segundo O Pr Prio, Aos Muitos Livros Que Por L Havia Lido, Manuel Tem Uma Vis O Para Os Dois Lados E Um Sentido De Justi A Que Rapidamente O Fazem Cair Nas Boas Gra As Das Gentes Do Povo Toma Ent O Parte Da Sua Gente, Homens Honestos E Humildes Que Trabalham De Sol A Sol Mas Que N O Deixam De Viver Em Condi Es Miser Veis A Revolta Acaba Por Suceder E Entre Mortos E Feridos Tudo Acaba Numa Ca Ada Aos Homens Por Parte Da Pol Cia Que Leva Muitos Homens Pris O Acusados De Serem Instigadores E C Rebros Da Revolta O Estado Mostra Ent O Todo O Seu Esplendoroso Poder Aqui Representada Est A Saga Dos Beir Es Na Defesa Dos Terrenos Baldios Perante A Ditadura Do Estado Novo. Aquilino Ribeiro, escritor, conspirador anti mon rquico, propagandista republicano e resistente democrata, um dos grandes nomes da literatura portuguesa e repousa, desde 2007, com a dignidade merecida, no Pante o Nacional.A sua vida foi bastante atribulada Depois de vir viver para Lisboa foi preso em 1907, acusado de ataque bombista e anarquismo Fugiu, e exilou se em Paris Ap s a proclama o da Rep blica voltou a Portugal mas, em 1928, volta a exilar se Foi casado duas vezes e teve um filho de cada relacionamento, An bal, o primog nito e para quem escreveu O Romance da Raposa, e Aquilino Ribeiro Machado que foi Presidente da C mara Municipal de Lisboa entre 1977 e 1979.Em 1960 foi proposto para o Pr mio Nobel da Literatura.Quando os Lobos uivam retrata a luta dos beir es em defesa dos terrenos baldios, durante a ditadura, nos finais dos anos 40 e in cio dos anos 50A serra foi dos serranos desde que o mundo mundo, herdade de pais para filhos Quem vier para no la tirar connosco se h de haver A sua publica o em 1958 valeu lhe um mandado de captura e a apreens o de todos os exemplares, j vendidos, pelo Estad Quando os Lobos Uivam, de Aquilino Ribeiro, foi um livro proibido durante o Regime Salazarista pelo seu car ter cr tico e frontal Atualmente uma obra aclamada e por essa raz o foi a minha escolha para o Contrato de Leitura.Com esta obra o escritor exp s o modo de vida do Interior do pa s, nas reas rurais, e como estas eram afetadas pela neglig ncia e superioridade do Estado A hist ria centra se em Manuel Louvadeus, um emigrante retornado do Brasil Manuel oriundo de uma pequena aldeia perto da Serra dos Milhafres e no seu regresso depara se com uma situa o que disturba o povo o Estado ordenou um plano de arboriza o Serra dos Milhafres desta forma que surge o conflito da hist ria O caos semeado pelos serranos dependentes do sustento da serra, j miser veis devido aos impostos Apesar dos protestos dos serranos, o Estado n o vacila e avan a com as m quinas para a desfloresta o da serra Sem outra op o, os serranos revoltam se num confronto violento para fazerem valer os seus direitos.Esta sucess o de eventos utilizada por Aquilo Ribeiro como meio de criticar a actua o do Estado, considerando o prepotente, opressor e utilizador de meios violentos para atingir os seus fins A Policia, a Guarda Republicana, os funcion rios p blicos e os Tribunais s o outros organismos criticados no livro Quando os presos da revolta s o julgados clara a injusti a e a corrup o, sendo que todos os arguid Publicado em 1958, Quando os Lobos Uivam talvez o romance mais conhecido de Aquilino Ribeiro e um dos ltimos que escreveu J anteriormente marcado pelo regime salazarista, esta obra valeu lhe um mandato de captura e a apreens o de todos os exemplares editados.E o que faz deste romance algo digno de censura e o seu autor persona non grata para o regime Serra dos Milhafres, finais dos anos 40, o Estado Novo resolve impor aos beir es uma nove lei Os terrenos baldios que sempre tinham sido utilizados para bem comunit rio e onde essa comunidade retirava parte vital do seu sustento, seriam agora expropriados e esses terrenos utilizados para plantar pinheiros Assim, sem mais nem menos, o Estado chega e diz que, a partir daquele momento, acabou.Implanta se um clima de medo nas gentes e esse clima que Manuel Louvadeus, que havia emigrado para o Brasil anos antes, vem encontrar quando regressa aldeia.Homem vivido e culto devido, segundo o pr prio, aos muitos livros que por l havia lido, Manuel tem uma vis o para os dois lados e um sentido de justi a que rapidamente o fazem cair nas boas gra as das gentes do povo.Toma ent o parte da sua gente, homens honestos e humildes que trabalham de Sol a Sol mas que n o deixam de viver em condi es miser veis.A revolta acaba por suceder e entre mortos e feridos tudo acaba numa ca ada aos homens por parte da pol cia que leva muitos homens pris o acusados de serem instigadores Texto publicado no meu blog recta final da sua vida, Aquilino Ribeiro publicou, em 1958, aquele que , provavelmente, o seu romance mais conhecido Quando os Lobos Uivam Dono de uma personalidade e de uma escrita naturalmente insurrectas, Aquilino Ribeiro conheceu intimamente os agravos impostos por um regime do qual foi sempre opositor o Estado Novo Como evidente, a liberdade que exala das p ginas deste livro n o passou despercebida ao crivo da censura, uma vez que e agora cito o censor o autor intitula este livro de romance, mas com mais propriedade deveria chamar lhe de romance panflet rio, porque todo ele foi arquitectado para fazer um odioso ataque actual situa o pol tica Quando os Lobos Uivam uma obra que, no meu entender, sumariza como poucas as caracter sticas essenciais do s culo XX portugu s Nele encontramos a den ncia feita ao Estado enquanto institui o opressiva e repressiva, incapaz de facultar aos cidad os que tutela os direitos, liberdades e garantias pr prios de um Estado democr tico na linha da corrente neo realista, Aquilino refere incansavelmente as mis rias materiais, intelectuais e espirituais presentes nas comunidades rurais a eterna condi o de potencial emigrante do povo portugu s, algo particularmente evidente ao longo da ditadura de Salazar a eterna oposi o entre o mundo urbano e o mundo rural Apesar do evidente enfoque na s Excelente romance Querem liquid lo Acabe se com o sobrevivente genu no duma estirpe que emerge da noite dos tempos, dotado das qualidades raciais pr prias do ibero, do celta, do lusitano ou galaico..Como lobo que se queda no cimo dos picotos, e observa atentamente o horizonte alargado, Aquilino Ribeiro inspira todos os cheiros e cores da serra , abarca a geografia das planuras e das montanhas e ouve todos os fios de gua corrente Sabe os h bitos dos coelhos e das lebres e a hora da raposa pelos caminhos Conhece a carqueja, a chami a, a urze e a jun a e est atento ao som dos socos serranos pelos caminhos gran ticos A sua prosa uma festa para os sentidos Aquilino escreve com genu nas palavras serranas a fibra dos filhos da terra Coloca nos no meio dele 4,5Quando os Lobos Uivamretrata a resist ncia e revolta do povo serrano da zona das Beiras contra o arb trio do Estado autorit rio que, na d cada de 1940, expropria as zonas de explora o comunit ria convertendo as em floresta de pinheiros sob jurisdi o estatal Uma medida que amea a n o s a normal subsist ncia das gentes serranas, mas sobretudo a sua liga o ancestral a um meio natural que lhes est entranhado e que molda a sua identidade O livro foi proibido pela censura do Estado Novo por motivos pol ticos as cr ticas ao regime ditatorial, em especial os tribunais plen rios que o relat rio da censura refere serem focados duma forma infamante N o obstante o aparente car cter regionalista, o alcance desta narrativa acaba por ser bastante mais universal De in cio estranha se um pouco a linguagem que usa de modo prol fero voc bulos incomuns, muitos deles inexistentes no dicion rio diz se que Aquilino fazia uma recolha exaustiva de voc bulos regionais, chegando a recompensar monetariamente quem lhe desse a conhecer novas palavras utilizadas regional e localmente N o entendi, contudo, que esta particularidade atrapalhasse a leitura que achei deliciosa Para quem se deleita com a l ngua portuguesa esta obra um repastoManuel Louvadeus dum gal o subiu os degraus Em cima, no patamar, topou a porta fechada e deteve se, quando ia para bater, com

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *